O clamor por maior segurança no campo deu o tom da abertura da 42ª Expointer nesta sexta-feira (30/08) no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Em discurso na tribuna, o presidente da Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça (Febrac), Leonardo Lamachia,  defendeu o direito à propriedade e à livre iniciativa, saudando o governador Eduardo Leite por adotar medidas para “diminuir o tamanho do estado”. “Precisamos que o Estado faça as atividades básicas e típicas e indelegáveis: segurança, segurança e segurança. No campo e na cidade”. 

Lamachia citou o recente anúncio por parte do governo de criação de uma coordenadoria para controle de crimes rurais e sugeriu à ministra Tereza Cristina, presente na tribuna, que a iniciativa pioneira seja avaliada em âmbito federal. “Podemos nacionalizar as delegacias especializadas no combate aos crimes agropecuários. Precisamos ter gestão e tecnologia, mas devemos ter, fundamentalmente, segurança para manter o homem no campo e o agro como a matriz da economia do Brasil”, sugeriu. 

O presidente da Febrac encerrou sua manifestação em tom de otimismo em relação os resultados da feira de 2019. “A Expointer é muito mais do que uma exposição agropecuária. É um orgulho do Brasil e um patrimônio do Rio Grande”.

Além do desfile dos animais grandes campeões, o que sempre encanta o público, neste ano, a solenidade contou com apresentação da cavalaria do Exército. Durante o ato, jovens criadores realizaram manifestação pedindo apoio ao campo e ao agronegócio, em um movimento de contraponto ao protesto recentemente realizado na Exposição de Palermo por movimentos ambientalistas.

Foto: Carolina Jardine

Compartilhe: